sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Como o Homem Pode Transformar o Espaço Geográfico?


Introdução

Esse trabalho tem como objetivo mostrar como o homem, ao longo do tempo, foi modificando o espaço geográfico e como essas modificações tem trazido resultados produtivos e resultados negativos para o homem e para o meio ambiente.
Quando o homem foi evoluindo, foi trazendo consigo experiências de vida, além de visar sempre o progredir. Ao progredir, ele foi trazendo novas tecnologias, invenções, e consequentemente foi modificando o espaço geográfico. Essas modificações nem sempre foram benéficas para o homem e o meio ambiente, algumas visando apenas interesse econômico e político.
O espaço geográfico é o lugar onde não somente o ser humano vive, mas também onde vive uma imensa variedade de seres vivos que vivem em uma interdependência entre si, ou seja, nenhum ser vive isolado, todos dependem de outro ser para existir. No espaço geográfico, como falamos anteriormente, o homem faz diversas modificações para poder sobreviver e evoluir. As ações boas levaram ao progresso e a melhor qualidade de vida para os seres vivos do planeta e as ações ruins prejudica o meio ambiente podendo não atingir o homem naquele momento, mas sim as futuras gerações.
Alguns exemplos das ações ruins do homem são: as queimadas, as emissões de gases poluentes na atmosfera, a poluição dos rios, mares e oceanos, a contaminação do solo, a destruição da fauna e flora, etc. Algumas dessas ações do homem atingem diretamente a atmosfera, principalmente a emissão de gases poluentes provocando alguns fenômenos como a inversão térmica, as chuvas ácidas, o efeito estufa, e aquecimento global, além de contribuírem para a destruição da camada de ozônio, uma camada muito importante na atmosfera por filtrar os raios ultravioletas nocivos emitidos pelo Sol.

O que é Espaço Geográfico

Para a Geografia o espaço são as paisagens, as relações que se estabelecem entre as pessoas (sociais, econômicas, políticas, etc.) as relações entre as pessoas e a natureza, e as próprias pessoas.
O Espaço Geográfico corresponde ao espaço construído e alterado pelo homem podendo ser definido como sendo o palco das realizações humanas, onde ficam todas as partes do planeta para serem analisadas, selecionadas e classificadas pelas numerosas especialidades da ciência geográfica.
Na análise do ser humano a geografia cultural define o Espaço Geográfico como: lugar onde os seres vivos, inclusive os humanos buscam instituir laços efetivos relacionados ao respeito ou ao mesmo ao temor.
Quando especificamos o Espaço geográfico, por exemplo, como espaço geográfico do Domínio do Cerrado é porque estamos referindo ao conjunto de elementos naturais tais como relevo, clima, vegetação, hidrografia entre outros, e a partir dessa análise teremos dados homogêneos e nos leva a pensar que cada um dos elementos será resultado da interligação entre eles, como, por exemplo, o solo do cerrado é rico em hidróxido de alumínio, entretanto sua vegetação sofre reflexos, pois suas folhas e galhos são retorcidos devido a esse fator, sabe também que o clima é tropical sub-úmido com um período de seca e um chuvoso.
Em sua etapa inicial o espaço geográfico apresentava somente os aspectos físicos ou naturais presentes, como rios, mares, lagos, montanhas, animais, plantas e toda interação e interdependência entre eles. O surgimento do homem, desde o mais primitivo, que começou a interferir no meio a partir do corte de uma árvore para construção de um abrigo e para caça, teve impacto e transformou o espaço geográfico.
No início as transformações eram quase que insignificantes, uma vez que tudo que se retirava da natureza servia somente para atender as necessidades básicas de sobrevivência. Toda modificação executada na natureza é proveniente das ações humanas sobre ela.
A partir da Primeira Revolução Industrial o homem deu grande importância para a retirada de recursos dispostos na natureza a fim de abastecer as indústrias de matéria-prima, que é um item primordial nessa atividade, ao passo que a população crescia era acompanhado pelo alto consumo de alimentos e bens de consumo.
Com o avanço tecnológico, o homem criou uma série de mecanismos para facilitar a manipulação dos elementos da natureza, máquinas e equipamentos facilitaram a vida do homem e dinamizaram o processo de exploração de recursos, como os minerais, além do desenvolvimento de toda produção agropecuária com a inserção de tecnologias, como tratores, plantadeiras, colheitadeiras e muitos outros.
Nos centros urbanos as alterações são percebidas nas construções presentes, essas transformações ocorrem em loteamentos que em um período era somente uma área desabitada e passou a abrigar construções residenciais, além de áreas destinadas ao comércio e indústria. Desse modo, nas cidades de todo mundo sempre ocorrem modificações no espaço, são identificadas nas novas construções, nas reformas de residências, lojas e todas as formas de edificações.
As constantes intervenções humanas no espaço causam uma infinidade de degradação que recentemente tem se voltado contra o homem, desse modo, a natureza está devolvendo tudo àquilo que o próprio homem provocou durante anos, são vários os exemplos decorrentes das profundas alterações ocorridas principalmente no último século no planeta, como o aquecimento global, efeito estufa e escassez de água.
Diante dessas considerações constata-se que o espaço geográfico não é sempre igual, pois até mesmo a deteriorização de um edifício ou monumento é considerado uma alteração do espaço e automaticamente da paisagem, por isso as mudanças são contínuas e dinâmicas. O espaço geográfico é produto do trabalho humano sobre a natureza e todas as relações sociais ao longo da história.



Porque o homem modifica o lugar onde vive

Poucos lugares na superfície terrestre que sobraram sem a modificação direta do homem (como a maior parte da floresta amazônica). Mas nos primeiros tempos de sobrevivência do homem, há muitos anos, ele pouco modificava a natureza, ele só retirava dela o que necessitava para sobreviver. Se ele precisava de água para a pecuária, ele ia morar perto dos rios, se precisava de terra para o plantio ele ia morar numa terra fértil.
Mas com o passar do tempo a população foi crescendo e foi precisando retirar mais recursos naturais, necessitando de mais lugares para morar. Dessa forma, as cidades foram se modificando, porque a junção de pessoas em determinados lugares fez com que a instalação deles melhorasse assim construindo casas, igrejas, lugares para diversão, escolas, etc
Devemos saber que o homem não só modifica o lugar onde vive por que quer destruir a natureza, mas sim porque necessita para a sua sobrevivência.
Para que o homem pudesse adaptar o lugar para sobreviver teria que modificar o ambiente natural. Assim pegando todos os recursos naturais que necessitava, destruindo a natureza, abrindo espaços para asa construções.
Desse modo as cidades, estados, países e as regiões iam se formando destruindo a natureza por mais que tentasse preservá-la.
A poluição das cidades vem causando vários problemas como as inversões térmicas, as chuvas ácidas, o buraco na camada de ozônio, o efeito estufa e o aquecimento global.


O buraco na camada de ozônio

O ozônio é um dos gases mais raros do planeta Terra. Sua composição é três átomos de oxigênio formando uma molécula de ozônio. A maior parte do ozônio do planeta forma uma fina camada localizada na Estratosfera, a cerca de 22 km de altitude, que envolve toda a Terra. A camada de ozônio filtra os raios ultravioleta nocivos emitidos pelo Sol.
No final da década de1970, cientistas descobriram que grande parte da camada de ozônio existente na estratosfera estava sendo destruída. Foram detectadas várias folhas ou “buracos” na camada de ozônio, principalmente na região da Antártica.
 Depois de algumas pesquisas cientistas descobriram que o principal causador da destruição dessa camada é um gás chamado CFC (clorofluorcarbono). Sua formula química é: um átomo de cloro, outro de flúor e outro de carbono. Esse gás é muito utilizado na indústria para a fabricação de alguns produtos químicos. É o exemplo do isopor, desodorantes, extintores de incêndio e gases para refrigeração.
Quando esses gases são liberados na atmosfera, passa diretamente pela troposfera não reagindo com nenhum outro gás por conta da sua estabilidade. Chegando à estratosfera onde a incidência de raios solares é maior o CFC se quebra, separando seus átomos. O átomo de cloro que se separou ataca as moléculas de ozônio, destruindo – as. Somente um átomo de cloro consegue destruir 100000 moléculas de ozônio.
Visando reconstruir a concentração da camada de ozônio na estratosfera a maioria dos países da EU (União Européia), fizeram um acordo em 1987 chamado Protocolo de Montreal, eles concordaram em diminuir em até 50% os níveis de produção de CFC até o ano de 1999, passando a utilizar gazes menos prejudiciais à camada de ozônio.


Inversão Térmica

Este fenômeno climático ocorre principalmente nos grandes centros urbanos, regiões onde o nível de poluição é muito elevado. Esse fenomeno se intencifica em dias frios de outono ou de inverno quando uma camada de ar frio, proxima a superficie é encoberta por uma camada de ar quente. Assim o ar frio fica parado não dispersando os poluentes lançados pelas fábricas e veículos, acabando por intoxicar as pessoas.
Este fenômeno atinge diretamente a saúde das pessoas, principalmente das crianças e idosos provocando doenças respiratórias, cansaço e outros problemas de saúde. Pessoas que já possuem doenças respiratórias são as que mais sofrem com a inversão térmica.
Geralmente, quando há inversão térmica, podemos ver no horizonte a olho nu uma camada de ar de cor cinza formada pelos poluentes gasosos jogados na atmosfera.
                                                            











 Chuva Ácida

            A chuva ácida é um fenômeno que ocorre nas regiões mais urbanizadas e industrializadas no mundo, onde se encontram uma grande quantidade de poluentes atmosféricos que geram esse fenômeno.
            A chuva ácida é formada principalmente pela queima de combustíveis fósseis como, por exemplo, o carvão e o petróleo. Quando são queimados em veículos automotores ou indústrias, esses combustíveis liberam alguns gases como óxidos de nitrogênio e óxidos de enxofre. Eles reagem com o vapor de água atmosférico formando substâncias ácidas como o nítrico e o sulfúrico. Posteriormente esses gases precipitam – se misturados a chuva.
            As chuvas ácidas podem cair a quilômetros de distância das fontes poluidoras, pois os poluentes do ar podem ser levados pelos ventos a longas distâncias do local poluído.
            A chuva ácida provoca muitos danos ao meio ambiente e para o ser humano. Os rios, lagos e mares ficam ácidos matando todos os seres vivos contidos neles. Nas florestas e plantações, o solo fica enfraquecido e pobre de nutrientes, as plantas são queimadas pelos ácidos; muitas chegam a morrer ou ficam enfraquecidas. Nas cidades a chuva acida corrói monumentos e outros edifícios trazendo graves danos às construções e ao patrimônio histórico. Além disso, a chuva ácida traz problemas de pele e de cabelo no homem e também estraga peças de vestuário.


Efeito Estufa

            Efeito estufa é um fenômeno que não permite que a atmosfera terrestre se esfrie de modo excessivo. Porém o efeito estufa vem se acentuando ao longo dos tempos por conta da ação humana, que vem provocando a emissão exagerada de poluentes na atmosfera, sobretudo o gás carbônico. Esse gás vem da queima de combustíveis fósseis como o óleo “diesel” e a gasolina.
            Também ajudaram para o aumento de gás carbônico na atmosfera as queimadas realizadas nas florestas, nas pastagens e nas lavouras após as colheitas.
            Existem dois tipos de efeito estufa: o efeito estufa natural e o efeito estufa artificial, ou seja, o provocado pela ajuda do homem.



Aquecimento Global

O aquecimento global é uma consequência das alterações climáticas ocorridas no planeta. Essas mudanças climáticas ocorrem devido a fatores internos e externos. O principal fator externo natural é a variabilidade da radiação solar, que depende dos ciclos solares e do fato de que a temperatura interna do sol vem aumentando.
Diversas pesquisas confirmam o aumento da temperatura média global.  Esse aumento pode parecer insignificante, mas é suficiente para modificar todo clima de uma região e afetar profundamente a biodiversidade, desencadeando vários desastres ambientais. O significado deste aumento de temperatura ainda é objeto de muitos debates entre os cientistas. Causas naturais ou antropogênicas (provocadas pelo homem) têm sido propostas para explicar o fenômeno.
Existe uma pequena parte da comunidade científica que atribui esse fenômeno como um processo natural, afirmando que o planeta Terra está numa fase de mudança natural, um processo longo e dinâmico, saindo da era glacial para a interglacial, sendo o aumento da temperatura consequência desse fenômeno.
No entanto, as principais atribuições para o aquecimento global são relacionadas às atividades humanas, que intensificam o efeito de estufa através do aumento na queima de gases de combustíveis fósseis, como petróleo, carvão mineral e gás natural. A queima dessas substâncias produz gases como o dióxido de carbono (CO2), o metano (CH4) e óxido nitroso (N2O), que retêm o calor proveniente das radiações solares, como se funcionassem como o vidro de uma estufa de plantas, esse processo causa o aumento da temperatura. Outros fatores que contribuem de forma significativa para as alterações climáticas são os desmatamentos e a constante impermeabilização do solo.
O degelo é outra consequência do aquecimento global, segundo especialistas, a região do oceano Ártico é a mais afetada. Nos últimos anos, a camada de gelo desse oceano tornou-se 40% mais fina e sua área sofreu redução de aproximadamente 15%. As principais cordilheiras do mundo também estão perdendo massa de gelo e neve. As geleiras dos Alpes recuaram cerca de 40%, e, conforme artigo da revista britânica Science, a capa de neve que cobre o monte Kilimanjaro, na Tanzânia, pode desaparecer nas próximas décadas. 
Os dados com a correção dos efeitos de "ilhas urbanas" mostram que o aumento médio da temperatura foi de 0.6+-0.2 C durante o século XX. Os maiores aumentos foram em dois períodos: 1910 a 1945 e 1976 a 2000. Por exemplo, dados de satélite mostram uma diminuição de 10% na área que é coberta por neve desde os anos 60. A área da cobertura de gelo no hemisfério norte na primavera e verão também diminuiu em cerca de 10% a 15% desde 1950 e houve retração das montanhas geladas em regiões não polares durante todo o século XX. (Fonte: IPCC).
A emissão de gases poluentes tem provocado, nas últimas décadas, o fenômeno climático conhecido como efeito estufa. Este tem gerado o aquecimento global do planeta. Se este aquecimento continuar nas próximas décadas, poderemos ter mudanças climáticas extremamente prejudiciais para o meio ambiente e para a vida no planeta Terra.
 Em busca de alternativas para minimizar o aquecimento global, 162 países assinaram o Protocolo de Kyoto em 1997. Conforme o documento, as nações desenvolvidas comprometem-se a reduzir sua emissão de gases que provocam o efeito de estufa, em pelo menos 5% em relação aos níveis de 1990. Essa meta tem que ser cumprida entre os anos de 2008 e 2012. Porém, vários países não fizeram nenhum esforço para que a meta seja atingida, o principal é os Estados Unidos.
Atualmente os principais emissores dos gases do efeito estufa são respectivamente: China, Estados Unidos, Rússia, Índia, Brasil, Japão, Alemanha, Canadá, Reino Unido e Coreia do Sul.




Como reduzir a poluição do ar

Soluções para diminuir a poluição do ar:
·          Diminuir o uso de combustíveisfósseis, diesel, querosene e aumentar o uso de biocombustíveis (exemplo: biodíesel) e etanol.
·         Os automóveis devem ser regulados constantemente para evitar a queima de combustíveis de forma desregulada.
·         O uso obrigatório de catalisador em escapamentos de automóveis, motos e caminhões.
·          Instalação de sistemas de controle de emissão de gases poluentes nas indústrias.
·          Ampliar a geração de energia através de fontes limpas e renováveis: hidrelétrica, eólica e  solar. Evitar ao máximo a geração de energia através de termoelétricas, que usam combustíveis fósseis.
·         Sempre que possível, deixar o carro em casa e usar o sistema de transporte coletivo (ônibus, metrô, trens) ou bicicleta.
·         Colaborar para o sistema de coleta seletiva de lixo e de reciclagem.
·         Recuperação do gás metano nos aterros sanitários.
·          Usar ao máximo a iluminação natural dentro dos ambientes domésticos.
·         Não praticar desmatamento e queimadas em florestas. Pelo contrário, deve-se efetuar o plantio de mais árvores como forma de diminuir o aquecimento global.
·          Uso de técnicas limpas e avançadas na agricultura para evitar a emissão de carbono.
·         Construção de prédios com implantação de sistemas que visem economizar energia (uso da energia solar para aquecimento da água e refrigeração).


Conclusão
Diante dos nossos estudos percebemos que o homem sempre está modificando o lugar em que vive, ou seja, o espaço geográfico. Vimos também que essas modificações trouxeram resultados negativos e positivos.
Durante muitos anos o homem não tinha consciência que estava prejudicando o meio em que vivia. O planeta e os seres vivos vinham sofrendo as conseqüências de anos de degradação pelo descuido do próprio homem. Com o passar dos anos o homem foi tendo mais informações sobre as causas e consequências do efeito estufa, a escassez de água, a chuva ácida, aquecimento global entre outros, pois seria o fim caso não tomassem uma providencia para salvar o seu espaço geográfico.
Com o Protocolo de Montreal, iniciou-se a conscientização do homem, pois a partir daí houve uma lenta diminuição de gases CFC lançados na atmosfera. E a partir daí os grandes países iniciaram conferências e campanhas educativas para toda a população.
Essa falta de cuidado se deve ao egoísmo e a ganância humana por poder econômico, pois as grandes potências do mundo como Estados Unidos e China com o objetivo de obterem muitos lucros usam produtos que prejudicam o planeta. Caros leitores esperamos que a partir de agora tenhamos a oportunidade de contribuirmos para um futuro cada vez melhor para o ambiente em que vivemos,  precisamos começar com pequenas ações em nossas casas, escolas, bairros, etc.
Somente assim poderemos acreditar que nossas futuras gerações viverão de maneira mais saudável, sem grandes dificuldades que nós mesmos provocamos, ou seja, nossas ações irão repercutir em nosso futuro.


Referências bibliográficas
http://pt.wikipedia.org/wiki/Clorofluorocarboneto·    http://www.sitecurupira.com.br/meio_ambiente/meio_ambiente_camadaozonio.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Invers%C3%A3o_t%C3%A9rmica                  http://www.cetesb.sp.gov.br/Ar/anexo/inversao.htm
http://campus.fct.unl.pt/jcf/projects/vfa/respostas/chuvas.html
www.mundoeducacao.com.br/.../espaço- geografico.htm%20/www.infoescola.com › Geografia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ozonosfera#Medidas_tomadas_mundialmente_para_evitar_a_degrada.C3.A7.C3.A3o_da_camada_de_ozono
Geografia Espaço e /vivência – 6° ano edição 2009;
www.escolakids.comwww.brasilescola/geografia







   

Nenhum comentário:

Postar um comentário